• Gabrielle

SILVERSTONE DRIVING EXPERIENCE: experiência imperdível para amantes do automobilismo



Já contei que amo viajar, conhecer e experimentar coisas novas, né? Além de conhecer o destino em si, adoro planejar atividades, passeios e experiências diferentes por lá, especialmente quando têm um pouquinho de adrenalina envolvida.


Quando decidimos ir para a Finlândia (que não tem voos diretos do Brasil), optamos por fazer "conexão" em Londres, que é uma cidade que sempre quisemos conhecer. Não foi uma mera conexão, mas uma estadia de 6 dias então, tivemos tempo de fazer quase tudo que pretendíamos.


>>> Veja aqui o post sobre nossa primeira viagem à Londres


O primeiro item da lista de vontades do B foi: conhecer Silverstone, o circuito de Fórmula 1, casa de Lewis Hamilton, Damon Hill, David Coulthard, dentre outros pilotos britânicos.

Apesar de eu nem gostar muito de Fórmula 1 (depois do Senna, claro!), eu sempre embarco nos sonhos do B, sou super parceira nos programas dele e dou o meu melhor para que ele aproveite e curta bastante, da mesma forma que ele também embarca nas minhas vontades, como me acompanhar em musicais e chás-da-tarde, que ele deve achar um porre rssss


Para ser sincera, eu nem sabia que Silverstone ficava na Inglaterra e, ainda mais, há apenas 1h de Londres... e nem imaginava o que teria para conhecer numa pista de corrida em uma época fora da Fórmula 1. Mal imaginava como o B ia amar tanto este dia, tanto que elegeu o programa favorito dele em toda a viagem de Londres.


Silverstone não para nunca, mesmo quando não estão recebendo a Fórmula 1. Eles sediam várias corridas de carro, de moto, abrem a pista para voltas de bike, para corrida de carros particulares, para aluguel da pista... e, o mais legal para nós: em alguns finais-de-semana abrem a pista para as Driving Experiences (experiências de direção), em carros do próprio circuito.

Normalmente, isso ocorre em uns 2 finais-de-semana por mês e, no inverno, quando fomos, em apenas 1. O problema é que nem sempre eles divulgam as datas com muita antecedência, mais ou menos 2 ou 3 meses antes, quando normalmente já estamos com nossas datas da viagem definidas e passagem/hotel comprados.


Ou seja, seria uma loteria conseguir conciliar o único domingo que estaríamos em Londres com o final-de-semana de Driving Experiences.

Por muuuuita sorte, a única data que eles abriram em fevereiro era exatamente no domingo seguinte à nossa chegada em Londres (chegamos no sábado). Na hora que vi, eu já garanti a compra do ticket no site do circuito de Silverstone.



São várias as opções de carros para as Drivings Experiences:

  • com carro monoposto (single seater), como os de Fórmula 1

  • com Ferrari F430 Coupé

  • com Aston Martin Vantage

  • com BMW M2

  • com Hot Rides (também tem opção de ir só como carona de um piloto profissional)

  • com Caterham 165bhp para drifts

Para o monoposto, os Hot Rides e o Caterham é possível participar de uma corrida de verdade, com vários outros carros. Já para a Ferrari, Aston Martin e BMW, a pista fica exclusiva para o piloto, sem competição.


Inicialmente, tínhamos comprado para o B a Ferrari Experience na pista principal do Circuito, que é onde ocorre a Fórmula 1. Porém, umas 2 semanas antes da nossa data reservada, o pessoal de Silverstone me enviou um e-mail informando que a reforma desta pista, para a Fórmula 1 de junho/2018, havia atrasado, sendo que a única opção que havia sobrado era o Single Seater Racing Car Experience (corrida de monopostos), na pista secundária de Silverstone.


Em um primeiro momento ficamos meio desapontados, porque achávamos que a pista secundária não seria tão legal quanto a principal, mas mesmo assim, resolvemos substituir por esta opção, ao invés de receber o dinheiro de volta. Já posso adiantar que foi quase uma obra do destino esta mudança, porque o B amooou a corrida, ainda mais que tinha outro alucinado igual ele para competirem entre si... nem fez diferença ser em uma pista secundária. Se ele tivesse feito a Ferrari Experience, seria ele sozinho na pista principal, apenas velocidade, mas sem a adrenalina da competição.


Não comprei para mim, confesso que fiquei com um medinho de não aproveitar a pista, andar muito devagar com medo de girar, bater, capotar rsssss ... na verdade, não senti vontade de correr com um monte de homem, mesmo adorando dirigir. Estava mais empolgada para assistir Os Miseráveis na noite seguinte.


Algumas informações importantes para planejamento deste passeio:


  • Silverstone fica 79 milhas / 128 km distante de Londres

  • Endereço: Towcester NN12 8TN, Reino Unido

  • Para chegar, o ideal é alugar um carro em Londres, pois ônibus irá demorar muito (tipo 2h30 a 3h)

  • É possível comprar o Tour para conhecer todo o circuito (não aconselho, conforme explico mais abaixo)

  • No Reino Unido dirige-se do lado direito, oposto ao que estamos habituados

  • No Reino Unido é aceita a CNH brasileira

  • Em Silverstone, é exigida Licença de Motorista com habilitação para dirigir carro manual (como aqui no Brasil o carro manual é nosso primeiro amiguinho, isso não foi problema)

  • Fiquei com medo deles não entenderem que nossa CNH não diferencia habilitação manual e automática, pois é toda redigida em português. Então, para não perder o dia, achamos melhor fazer a PID - Permissão Internacional de Dirigir, que é uma tradução da CNH em formato de livrinho, em vários idiomas, feita no DETRAN

  • Indispensável comprar qualquer Driving Experience com antecedência, pois têm vagas limitadas e esgotam rápido, mesmo no inverno

  • Além do ticket para a corrida, é vendido também um seguro opcional para indenização em caso de danos acidentais de até 10 mil libras. Embora não seja indispensável, é altamente recomendável, já que a ideia é aproveitar e acelerar o máximo

  • Não é um programa essencialmente turístico, a maioria dos pilotos são britânicos


Em Silverstone, é exigido que o piloto consiga se comunicar bem em inglês, para as instruções/briefing que são dadas antes da experiência de direção em si. O B entende razoavelmente bem o inglês, consegue falar alguma coisa, mas com certa dificuldade, mesmo assim resolvemos assumir o risco. No dia, ele não teve nenhum problema, até porque no videogame aprendeu as principais palavras como marcha (gear), freio (break), more gas (acelera), flags (bandeiras) entre outras palavrinhas que usam o tempo todo. Mas vale dar uma estudadinha para relembrar!

Explicando um pouco sobre o nosso dia:


Chegamos em Londres no sábado à tarde, passeamos um pouquinho por Convent Garden e voltamos ao hotel para descansar, pois acordaríamos cedinho no domingo, já que a corrida do B no domingo começava às 11:35 e tinha que chegar com 30 min. de antecedência, fora que queríamos sair bem mais cedo para ele se adaptar a dirigir na direita, com o trânsito, etc.


Como estávamos hospedados próximo da Estação de King's Cross/St. Pancras, alugamos um Fiat 500 na Avis da Estação de Trem de St. Pancras, há 2 min. caminhando do nosso hotel, bem baratinho. Fiz a reserva direto pelo site da Avis mesmo, que estava valendo mais que Expedia (que é onde normalmente reservo).


Na Avis (que é super escondida e só dá para achar pedindo direções na estação), eles perguntam o destino do carro e quando falamos que estávamos indo para Silverstone, nosso atendente, um português, ficou tão empolgado que nos deu um upgrade para SUV, para pegarmos a estrada com mais conforto.


Primeira dificuldade do dia: o lado da direção. Quando fomos caminhando para entrar no carro, instintivamente eu fui em direção ao lado direito, do carona e o B, para o lado esquerdo, do motorista. Quando estávamos na frente da porta que nos ligamos dos lados trocados.

O B que dirigiu, ele curte bastante e tem segurança no volante, mas ainda assim, achou meio estranho nos primeiros 30 min. É ainda mais estranho em rodovias de pista simples, porque parece que estamos sempre na contramão, tem que manter a concentração o tempo todo e não deixar o cérebro entrar em modo de pilotagem automática rssss



Chegando em Silverstone, fomos direto para o prédio onde acontece o briefing. No caminho, dentro do Circuito, tem uma auto-escola da Porsche (Porsche Experience Center), com uma pista para novos adquirentes testarem seus brinquedos, além de uma loja com inúmeros modelos da marca estacionados na frente.



No prédio onde acontece o briefing tem um salão bem grande, com café e lojinha de roupas do circuito e souvenirs. Então, o acompanhante que não vai correr fica bem confortável numa mesinha, o que é especialmente interessante no inverno, pois o vento da rua era congelante.


Sobre a corrida:



30 min. antes do horário da corrida, os pilotos são levados sozinhos para fazer o briefing, onde a equipe de Silverstone explica como você deve se portar na pista, como fazer a tangência, o significado das bandeiras, quais são os pontos de ultrapassagem permitida, etc.


Então, direcionam os pilotos para seus carros e dão a largada. Uma galera morre o carro rssss, é bem engraçado, mas é que ele é realmente diferente de um carro normal.


O monoposto de Silverstone é manual, sem ABS, sem controle de tração e estabilidade, o legítimo carro raiz.

São:

  • 10 min. de corrida atrás do carro de segurança (pace car) para sentir a pista

  • 20 min. de corrida, sem o carro de segurança


O B não achou pouco, mas queria mais no final.


Em resumo, ele amou, disse ter sido o que ele mais gostou na viagem toda de Londres e agora está super empolgado para fazer em todos os circuitos de Fórmula 1 nas cidades que visitarmos no futuro (apesar que nem todas têm). Ele curtiu muito a corrida, pois é bem estimulante, ainda mais que no dia ele encontrou um empolgado igual ele, nenhum dos 2 queria o segundo lugar, então disputaram durante os 20 min. o primeiro posto.


Como os dois tinham comprado o pacote com fotos e video 360º e foi tão emocionante a disputa entre eles, o pessoal de Silverstone até pediu a autorização por escrito para usar a filmagem deles em material promocional do circuito.

Depois da corrida, embarcamos no tour, comprado à parte, para conhecer todo o circuito, a pista, o prédio principal, a oficina, a sala de controle de TV, o pódium...



Sinceramente, achei bem entediante! Se pudesse dar uma dica de roteiro a quem vai a Silverstone, diria para fazer só a corrida de manhã, cortar o Tour, e partir direto para Oxford (cidade universitária bem charmosa) ou para Stonehenge (aquelas pedras em círculos cheias de misticismo) e aproveitar a tarde em um destes dois lugares, que são destinos turísticos bem procurados no Reino Unido.


Enfim, no geral, curtimos muito o nosso dia em Silverstone, o B amou a experiência e com certeza iremos repetir se formos mais uma vez para Londres. Vale muito a pena para quem é fissurado em automobilismo e é um programa que dificilmente vai se encontrar em qualquer viagem!

0 visualização

© Buena Vida

todos os direitos reservados

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone YouTube