• Gabrielle

LAPÔNIA FINLANDESA: 2ª cidade visitada -- Saariselkä, a vila nas montanhas

Atualizado: 13 de Set de 2018



Definimos Saariselkä como nossa cidade base para explorar a Lapônia Finlandesa, por sua estrutura turística, hotéis incríveis e por ser bem acima do Círculo Polar Ártico, se comparada com outras cidade, o que maximizaria nossas chances de observar a Aurora Boreal, meu sonho!


Atualização: descobri que Ivalo e Saariselkä não são cidades, mas vilas.


Nosso roteiro pela Lapônia começou por Ivalo, onde desembarcamos no aeroporto e fizemos algumas caçadas às Luzes do Norte, continuou por Saariselkä por 4 dias e finalizou em Rovaniemi, a Terra Oficial do Papai Noel, por mais 1 dia.


>>> Veja antes o post sobre a 1ª cidade visitada na Lapônia: Ivalo, o aeroporto mais ao Norte da Finlândia


>>> Veja depois o post sobre a 3ª cidade visitada na Lapônia: Rovaniemi, a Terra Oficial do Papai Noel


>>> Veja aqui o post com o clipe da nossa viagem à Lapônia Finlandesa


Saariselkä é uma graça, tem cara de vilarejo de estação de esqui, fica entre duas montanhas, bem na base delas... tem exatamente o estilo de cidadezinha pequena que gosto de conhecer.


Dirigíamos por tudo... aliás, o B. Eu não me senti muito segura para dirigir na neve, pois o carro deslizava um pouco nas curvas, tinha que fazer bem devagar.


Nos últimos dias de Lapônia, o B já estava abusado e confiado, entrava mais rápido nas curvas das inúmeras rotatórias que tem pela cidadezinha, só para o carro deslizar e me deixar angustiada de vir a bater ou a polícia nos parar - apesar de que não vi polícia nenhuma vez. Acho que nem precisa, pois os finlandeses são muito educados e têm um senso de civilidade bem apurado, especialmente no Norte.


Como tudo na Lapônia, as ruas são cobertas de neve bem branca e limpa (não é aquela neve suja de barro que normalmente vemos em grandes cidades); também as árvores ficam acumuladas de neve fofa em seus galhos e folhas.


Além de conhecer a cidade, fizemos em Saariselkä todos os passeios lá chamados de Safári, o com rena, com moto de neve e com Huskies Siberianos. A cidade tem algumas opções de agências para estas e outras inúmeras atividades. Optamos por apenas 1 passeio por dia, até porque, como amanhece tarde e anoitece cedo, a maioria dos passeios ocorre em horários muito próximos.


Assistir o pôr-do-sol do topo da Kaunispää Fell, uma das montanhas que circundam Saariselkä (e também onde fica o Star Artic Hotel), é imperdível, quase que obrigatório, de tão lindo!

Tem dias do inverno que o sol nunca chega a nascer, chega no máximo até a linha do horizonte, e volta a se por. Nós fomos em fevereiro, quando o sol nasce às 9h e se põe às 16h.



O Centro de Saariselkä tem uma única rua principal, onde ficam os hotéis, agências, restaurantes e um mercadinho. Bem charmoso e fofo!


No dia em que chegamos, estava bem frio, acho que uns - 15º C, mas variamos, durante os demais dias/noites, entre - 8º C e - 30º C. Muitooo frio! De congelar o pé e ficar com medo de ter que cortar fora, achando que nunca mais vai conseguir esquenta-lo rsss.


Uma noite, esquecemos nossa garrafa de água no carro. Quando a vimos, na manhã seguinte, ela estava assim, como mostra a foto, congelada, com um bloco de gelo dentro.


O B comprava coca direto e, umas 2 vezes, comprou pizza congelada para ele... deixávamos no porta-malas do carro para manter resfriados, ao invés da geladeira rsss... às vezes, até deixávamos enterrado na neve, no hotel (ninguém mexe)... nada descongelava rssss

Em Saariselkä não existem bistrôs, restaurantes sofisticados ou de chefs estrelados. Por lá, as coisas são mais simples, descomplicadas e tranquilas... os restaurantes são mais rústicos, de cozinha nórdica, mas com opções igualmente saborosas... servem especialmente comidas típicas finlandesas, a base de salmão e carne de rena, já que Saariselkä é bem isolada, distante de grandes distribuidores de alimentos, afora o fato de as estradas serem cobertas de neve no inverno.


Eu me apaixonei pela tradicional Sopa de Salmão Finlandesa, ainda mais com o salmão norueguês que é servido por lá. Em qualquer lugar que fôssemos, tinha a Sopa de Salmão, em inúmeras variações, com batata, com batata e cenoura, com alho poró...

Não tive coragem de comer a carne de rena... lembrava da rena que nos levou para passear de trenó, que posou para minhas fotos e apoiou a cabeça no meu ombro... mas me acabei no salmão.


Íamos muito no restaurante que fica do lado de fora do Supermercado Kuukkkeli (não anotei o nome e o google street view encobriu a placa), porque eles serviam essa sopinha de salmão delícia da foto e tinham pizza margueritta para o B, que não come peixe e ama pizza.





>>> HOSPEDAGEM <<<


Nos hospedamos em 2 hotéis diferentes enquanto estávamos em Saariselkä. Dividimos nossas 4 noites entre o Star Artic Hotel (2 noites) e o Kakslauttanen Artic Resort (2 noites). Na minha opinião, os dois hotéis mais originais da cidade. Inigualáveis!


Diferente do turismo normal de cidade, na Lapônia não conseguimos ficar o dia todo passeando na rua e voltar para o hotel apenas para dormir (o que, aliás, é uma boa desculpa para economizar na hospedagem rsss). O frio por aqui é de congelar, então nosso corpo tropical não aguenta. Por esta razão, optamos por reservar bons hotéis nesta viagem, realmente ficamos no quarto mais do que normalmente ficaríamos, e aproveitamos a estrutura do Star Artic e do Kakslauttanen enquanto não estávamos fazendo um dos passeios do dia.


STAR ARTIC HOTEL


Fiz um post bem completo sobre nossa estadia no Star Artic Hotel.


>>> Veja aqui o post sobre nossa hospedagem no Star Artic Hotel


KAKSLAUTTANEN ARTIC RESORT


No Kakslauttanen Artic Resort dividimos nossa estadia em 2 acomodações. Na primeira noite ficamos no iglu de vidro (Glass Igloo) e, na segunda, ficamos na cabana de madeira (Small Log Cabin). Também tem um post exclusivo sobre o Kaks aqui no Blog.


>>> Veja aqui o post sobre nossa hospedagem no Kakslauttanen Artic Resort




>>> ATIVIDADES E PASSEIOS <<<


Saariselkä tem muitas opções de atividades, passeios, coisas para ver e conhecer, algumas delas tão únicas, como quase tudo no Ártico. Conto aqui embaixo o que fizemos por lá durante nossos 4 dias.


SAARISELKÄ SKI & SPORT RESORT



Saariselkä é muito famosa na Finlândia por abrigar uma das Estações de Esqui mais queridas pelos finlandeses chamada Saariselkä Ski & Sport Resort, que percorrem duas montanhas principais: Kaunispää Fell e Iisakkipää Fell, com inúmeras pistas, de vários níveis de dificuldade.



Nós não sabemos ainda esquiar, então fomos mais para conhecer, pois no dia estava tendo uma competição mundial chamada Ice Cross Downhill Riders, foi a primeira edição, patrocinada pela Red Bull. O esporte parece uma corrida de descida da montanha com botas/patins de hockey, bem rápido. Havíamos programado passar a tarde na Estação (era nosso primeiro dia na Lapônia)... pensamos em fazer aula de esqui ou snowboard ou; alugar esquis para caminhada na neve, chamado Cross-Country ou; descer a montanha de bóia ou tobogã (Winter Park); mas estava tããoããão frio, de queimar o rosto com o vento gelado... que não tivemos coragem.


Compramos nossa roupa especial e térmica já pensando em várias dicas que eu havia lindo em blogs da Finlândia, mas, mesmo assim, eu passava frio rsss... Por sorte, todos os passeios pagos fornecem roupas próprias, então conseguimos aproveitar bastante os demais.


Resolvemos só almoçar no café da Estação e correr para aproveitar o hotel.



REINDEER SAFARI (SAFÁRI COM RENAS)



Um dos passeios mais bonitos que fizemos foi o Reindeer Safari (passeio de trenó puxado por rena), por dentro da Floresta Boreal.


Optamos pela Agência Joiku-Kotsamo Safaris, mantida por uma casal Sámi (o povo lapão original da Lapônia). Eles são donos de uma fazenda de renas que fica a 20 min. de distância de carro, do Centro de Saariselkä. Como é uma agência pequeninha, os grupos são reduzidos, o que deixa a experiência mais legítima. Quando fomos, éramos nós dois e mais uma família finlandesa, com um pai, um filho grande e outro de uns 7 anos.


As renas são parte integrante da cultura na Lapônia. Para os povos indígenas Sámi (lapões) dessa região, esses animais foram o ponto crucial de sua existência durante séculos, proporcionando transporte, bem como calor e alimentação no desafiador clima ártico.


No passado, os Sámi eram nômades e se mudavam com seus rebanhos entre as terras de pastagem na tundra. A criação de renas pode não ser mais uma questão de sobrevivência com todas as tecnologias modernas, mas ainda é um dos principais meios de subsistência para muitos na região e é considerada uma importante tradição para se manter viva, passada de geração em geração.


Hoje, os visitantes da Lapônia podem experimentar a cultura e as tradições únicas que cercam a rena com visitas a fazendas e passeios por trenós de madeira deslizando por bosques nevados, da mesma forma como os antigos Sámi viajavam.


Este passeio é bem tranquilo... no mais puro silêncio... para sentir a misteriosa serenidade da Floresta Boreal, escutar apenas a Natureza e o som suave do trenó deslizando na neve.

Na metade do caminho, é feita uma parada para um café feito pelo nosso guia, que também era Sámi e não falava nada de inglês (nos comunicamos com a ajuda do pai da família finlandesa). A água é fervida em uma chaleira de ferro sobre uma fogueira que ele mesmo acendeu com o método do pauzinho, bem divertido ver. O pó do café é misturado na água quente e daí vai direto para nossos copinhos, sem adoçar e sem coar. O sabor é bem forte e amargo, apropriado à rusticidade da experiência.


Nesta pausa, demos comida para as renas, uma espécie de musgo, elas comeram tudo, nem ficaram tímidas conosco. Aproveitamos também para brincar de nos enterrarmos na neve que, na parte não compactada, estava na altura da minha coxa, e, fazer anjinho rssss... nunca tínhamos visto tanta neve acumulada, estávamos igual o filho de 7 anos da família finlandesa que nos ajudou com a língua rsss, só na vergonhera rssss.


Na volta do passeio, a rena que estava atrás de nós (macho, pois a galhada já havia caído), deu uma cafungada no meu cangote e apoiou a cabeça no meu ombro rsss, muito fofa, bem na hora eu estava tirando uma foto na GoPro e consegui capturar o momento.


Curiosidade: as renas perdem sua galhada todo ano, no início do inverno. Os machos perdem mais cedo que as fêmeas. Por conta disso, há uma controvérsia, na Finlândia, de que todas as renas do Papai Noel são fêmeas, já que ainda conservam suas galhadas no Natal.



SNOWMOBILE SAFARI (SAFÁRI COM MOTOS DE NEVE)



Se o Reindeer Safari foi super zen, o Snowmobile Safari é o total oposto, super radical e acelerado. Esta é uma atividade imperdível na Lapônia, é bem fácil de dirigir e pilotar na neve é demais!


Para este safári, contratamos a Agência Lapland Safaris, que é a maior, mais comercial e turística de Saariselkä. Eles têm inúmeras opções de atividades. Optei em reservar este passeio com eles, pois são os únicos que oferecem uma modalidade chamada Drivers Dream, ou seja, o Sonho dos Pilotos, na qual há mais direção, do que paradas para fotos.


Além disso, no Snowmobile Safari - Drivers Dream, o piloto irá dirigir a moto de neve sem um passageiro, o que dá uma sensação extra de liberdade. Como já teríamos várias fotos de todos os outros dias, queríamos aproveitar para acelerar... nos divertimos muito.


Os turistas "normais", especialmente os asiáticos, que dominam a Lapônia, preferem passeios que possam tirar muitas fotos... então, esta modalidade com mais pilotagem não é muito procurada. Neste dia, estávamos somente eu, o B e nosso guia - Aro o nome dele, um querido. Ele nos contou que em quase todas as casas por ali, as pessoas têm snowmobiles para fazer tarefas diárias... as crianças aprendem a pilotar cedo, além de ser um hobby para os jovens, que os usam de forma mais radical.


Foi uma manhã muuuuito divertida, corremos muito... foi uma das coisas mais legais que fizemos na Lapônia... eu não acreditava que conseguiria acompanhar os dois, mas andei juntinho. No final, o Aro comentou que nunca tinha corrida tanto com outros turistas, que normalmente o pessoal que ele leva é mais tranquilinho rsss.


Fizemos umas 3 pausas apenas, uma sobre uma montanha bem alta, com uma vista e um vento animal rsss... paramos também para descansar e brincar na neve fofa acumulada... o B pulava do snowmobile na neve, como se fosse trampolim, o Aro dava até mortal... eu só dei um pulinho meio tímido rssss, fiquei com medo de ter pedras embaixo e voltar de maca para casa. Paramos uma última vez, para tomar suco quente de frutas vermelhas. O B odeia chá (apesar de ser suco quente, não chá), mas tomou, porque ficou com vergonha de recusar, já que o Aro era tão legal... rss, eu só ri rsss


Adorei este dia!



HUSKY SAFARI (SAFÁRI COM HUSKY)



Assim como as renas, os Huskies Siberianos também foram, por anos, parte vital da vida nas regiões do Ártico, pois são muito tolerantes ao frio, tanto, que não se adaptam a cidades muito quentes. Tribos indígenas nômades utilizavam os trenós puxados por cães como meio de transporte há séculos.


Divertido, aventureiro, alerta, independente, inteligente, teimoso, travesso e obstinado. Tudo isso descreve esta raça. O Husky Siberiano é um cão ativo, que foi criado para percorrer quilômetros sem se cansar e precisa de espaço para correr, além de cargas amplas de exercícios diários para gastar toda a energia que tem. Ele adora puxar e gosta de frio.

Para o Husky Safari, optamos pela Agência Husky & Co., que é especialista nos cães e nos pareceram ser muito cuidadosos com o bem estar deles.


Husky idoso dormindo, tranquilamente, na recepção da agência

Um exemplo deste cuidado se mostra em como eles tratam os Huskies velhinhos no fim da vida, em que já estão cansados para correr tanto. Quando os Huskies ficam idosos, os próprios funcionários os levam para suas casas, famílias e amigos. No dia que fomos pagar pela nossa reserva, esta Husky aí da foto, bem velhinha, estava dormindo, toda esparramada na recepção da Agência, ganhava carinho de todo turista que entrava e, às vezes, levantava para pedir mais, quando paravam, muito fofa!!


Os cães são lindos! Nem todos são Huskies puros (dá de ver pela foto de um cachorro branco/creme ali de cima né rssss, querido... ele está com cara de quem acha que é Husky com pedigree), mas todos fofinhos igual. Os guias recomendam que a gente aguarde para fazer carinho neles apenas no retorno da corrida, pois eles ficam tão animados para passear no início, que podem machucar alguém acidentalmente. Na volta, em compensação, eles estão calmos e carinhosos... com a bateria descarregada e praticamente nem estão ofegantes quando chegam.



>>> SOUVENIR ESCOLHIDO <<<


O souvenir que trouxemos de Saariselkä foi...

...o lindo Papai Noel, meio duende, barbudo, que encontrávamos em todo lugar na Lapônia, guardando a porta de entrada de lojas e residências.


>>> Veja aqui o post com o clipe da nossa viagem à Lapônia Finlandesa


116 visualizações

© Buena Vida

todos os direitos reservados

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone YouTube