• Gabrielle

LAPÔNIA FINLANDESA: 1ª cidade visitada -- Ivalo, o aeroporto mais ao Norte da União Européia

Atualizado: 13 de Set de 2018



Ivalo foi nossa porta de entrada na Lapônia. Chegamos por aqui de avião, vindos de Helsinque.


Fica em Ivalo o aeroporto mais ao norte da União Européia e o mais próximo de Saariselkä, nossa principal cidade base. O aeroporto fica completamente coberto de neve no inverno, só dá para diferenciar onde é a pista de pouso/decolagem porque todo dia o excesso é empurrado para as laterais por caminhões removedores de neve. O resto do solo é todo branco!


>>> Veja depois o post sobre a 2ª cidade visitada na Lapônia: Saariselkä, a vila nas montanhas


>>> Veja depois o post sobre a 3ª cidade visitada na Lapônia: Rovaniemi, a Terra Oficial do Papai Noel


O aeroporto é bem pequeninho, bem menor que nosso aero de Floripa e menor até que o aeroporto de Navegantes e Joinville rsss, mas... como tudo na Lapônia, charmosinho!


O principal apelo turístico de Ivalo, assim como de outras pequenas cidades no Norte da Finlândia, é a Aurora Boreal. São muitas fotos lindas por todo lugar, várias agências oferecendo o passeio de caçada às luzes, souvenirs e postais sempre remetendo ao fenômeno... eu adorei, porque uma das principais razões (se não a principal) de visitar a Lapônia era ver a Aurora Boreal, como conto em detalhes no post que fiz sobre o dia que a vimos, em Alta, na Noruega, depois de muuuuuuuita caça.


>>> Veja aqui o post sobre Alta, a cidade norueguesa que nos apresentou à Aurora Boreal


Além das Luzes do Norte, a austeridade exótica da natureza do Ártico -- escuro, quieto e coberto de neve -- atrai muitos turistas asiáticos, mas também os viajantes europeus.


Viajar de avião para a Lapônia é incrível! A vista do alto, com tudo congelado, é inesquecível! Por outro lado, a viagem noturna também tem seu encanto se for uma noite com atividade solar favorável, quando é possível observar a Aurora Boreal da janelinha do avião... deve ser demais.


Quando embarcamos em Helsinque com destino à Ivalo, às 8h da manhã (este horário ainda é noite no inverno) estava tendo uma tempestade de neve... eram muitos floquinhos fofos caindo do céu. Meu cabelo e a barba do B ficaram cheios de flocos e molhados rsss. Ficamos algum tempo do lado de fora aproveitando aquele momento, super empolgados, tirando várias fotos, fazendo vídeo rsss... os finlandeses, que veem isso quase todo dia e passavam com pressa pela tempestade deviam pensar que éramos 2 idiotas, se molhando naquela neve densa rsss


Nosso roteiro pela Lapônia começou em Ivalo, onde desembarcamos no aeroporto e alugamos o carro. Iríamos direto para Saariselkä por 4 noites e, depois, para Rovaniemi, por 1 noite. Então, pegaríamos o Santa Claus Express Night Train (o Expresso Polar) para voltar para Helsinque.


>>> Veja aqui o post sobre nossa viagem pelo Expresso Polar.


Ivalo fica 34km distante de Saariselkä, o que dá +- meia hora de viagem, então, enquanto estávamos em Saariselkä, voltamos algumas vezes para Ivalo.


Em Ivalo fica a agência Ivalo Trek, com quem reservei nossas caçadas à Aurora Boreal. Também por lá, eu queria conhecer um supermercado (amo supermercados no exterior rss), uma Alko Store e passear pela cidade, cujo centro tem apenas 1 rua principal.


Na Finlândia, o Governo detém monopólio para explorar o comércio de bebidas alcólicas, ou melhor, cervejas com teor alcoólico acima de 5,5%, vinhos e destilados. A venda ocorre em lojas chamadas Alko Stores.


No aeroporto de Ivalo alugamos o carro que ficaria conosco durante todo nosso tempo na Lapônia. Reservei com a Sixt (estava mais barato direto com eles, do que através de sites intermediadores, como o Expedia, que uso direto).


Na Europa, os carros de aluguel são bem bons, mas nós optamos por um carro com conforto e segurança extra, dadas as condições do lugar que dirigiríamos, frio congelante e estradas cobertas de neve. Até aparecia um pouco do asfalto na Rodovia Principal, mas as ruas internas eram completamente tomadas por neve. Queríamos garantir que, além de um carro seguro e estável, que estaríamos protegidos dentro dele se algo saísse fora dos planos. E esse aí da foto deu conta do recado, tinha até banco aquecido para esquentar nossas bundinhas congeladas.



Todo carro alugado na Lapônia vem com um kit inverno, que nada mais é que uma vassourinha para varrer a neve fofa acumulada e, uma espátula, para raspar o gelo que gruda nos vidros com o vento, ambos super úteis.


Os dois matutos aqui perguntaram para o atendente da Sixt como funcionavam as correntes dos pneus para a direção na neve, mas ele riu e nos "relembrou" que elas já são proibidas há muito tempo, ao menos na Finlândia. Agora, eles têm pneus específicos para neve, com uns spikes (espinhos/pontas).


A estrada entre Ivalo e Saariselkä (bem como por toda a Lapônia Finlandesa) é a rodovia mais linda que já passei até hoje, cortando florestas boreais, com neve branquinha no chão e pinheiros de Natal cobertos de neve (a vegetação natural desta parte da Finlândia).




SUPERMERCADO EM IVALO


Já na primeira noite na Lapônia tínhamos reserva para caçada à Aurora Boreal com a Ivalo Trek. Resolvemos sair de Saariselkä bem antes do horário da reserva, pois ainda não sabíamos como seria dirigir à noite... aproveitamos que chegamos com umas 2h de antecedência e ficamos passeando por Ivalo, deu tempo de ver com calma o supermercado e tomar um chocolate quente numa cafeteria que ficava dentro.


Têm muitos ingredientes diferentes, mas o que mais me deu vontade de comprar foi o salmão, aparência perfeita, bem rosinha. A Península Kola, na Rússia e, a Noruega, são grandes produtores e exportadores de Salmão e ficam ali do ladinho de Ivalo.




CAÇADA À AURORA BOREAL COM A IVALO TRECK


Reservei nossas caçadas à Aurora Boreal com a agência Ivalo Treck. Na verdade, não chega a ser uma agência, não tem escritório próprio, mas é um caçador, o Mr. Jouni Männistö, que conhece muito sobre Ivalo e sobre as Luzes e leva turistas para os locais onde ele normalmente vai para observar e fotografar o fenômeno.


Além de ser super bem recomendado, na opinião de turistas do mundo todo (Trip Advisor), o que gostei do Mr. Jouni Männistö é que ele é muito honesto com relação à expectativas de visualização das luzes e cobra pelo "passeio" apenas se existirem condições mínimas de observação do fenômeno, se não, ele nem leva os turistas. Ao contrário dele, tem várias agências que levam a galera, mesmo com céu 100% encoberto e certeza de que ninguém verá nada.


Não encontrei em Saariselkä ninguém com o perfil da Ivalo Trek. Por lá, eram todas agências mais turistonas mesmo... por isso ia para a Ivalo fazer a caçada.


Apesar das chances favoráveis em nossa primeira noite na Lapônia, o máximo que vimos foi um risco esverdeado suave no céu (foto abaixo)... além disso, um céu super estrelado!


Para aproveitarmos o passeio, já que as luzes não queriam aparecer naquela noite, o Mr. Jouni Männistö nos levou até a fronteira com a Rússia (proibido cruzar), para conhecermos e, até um lago congelado. Esta noite estava muuuuuuuito fria. Cheguei no hotel com os pés congelados e só um banho quente conseguiu me esquentar.



Como nos dias seguintes o céu fechou, o Mr. Jouni Männistö, nos recomendou caçar por conta própria, ao norte de Ivalo, pois as chances de céu limpo e observação eram praticamente nulas... ele achava que não compensava investir no passeio com ele com possibilidades tão pequenas de ver alguma coisa. Como eu disse, ele é muito honesto e justo com os turistas.



CAÇADA À AUORA BOREAL POR CONTA PRÓPRIA


Em nossa segunda noite na Lapônia, decidimos, por recomendação do Mr. Jouni Männistö, caçar as Luzes do Norte por conta própria, já que o céu em Ivalor estava 100% fechado. A Aurora até estava lá, mas as nuvens a encobria.


Fizemos o que ele nos recomendou, dirigimos para o Norte de Ivalo... deveríamos parar apenas quando avistássemos as estrelas no céu. Se você vê estrelas, você verá as luzes, caso tenha atividade solar favorável.


Dirigimos por mais de 1 hora e nada. O máximo que vimos foram luzes de cidades e de faróis de carro rsss



Na terceira noite, nem saímos à caça, pois o céu estava igual... eu já estava agoniada... então, na quarta noite, decidimos fazer um bate-volta rapidinho rssss até a Noruega, ali do lado, pois o céu estava aberto por lá. Foi assim que decidimos ir para Alta e, enfim, conseguimos ver as luzes.


>>> Veja aqui o post sobre Alta, a cidade norueguesa que nos apresentou à Aurora Boreal

0 visualização

© Buena Vida

todos os direitos reservados

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone YouTube