• Gabrielle

KAKSLAUTTANEN ARTIC RESORT: experiência única de dormir em um iglu de vidro no meio do Ártico

Atualizado: 24 de Jul de 2018



O inverno da Lapônia Finlandesa foi nosso destino no Carnaval de 2018. Conhecer o Ártico (a Antártida também) sempre foi um sonho. A princípio, o interesse maior era ver a Aurora Boreal, mas quanto mais eu pesquisava sobre a região, mais apareciam novos locais ou experiências que me encantavam particularmente com um país: a Finlândia.


>>> Veja aqui o post com o clipe da nossa viagem à Lapônia


>>> Veja aqui o post de nossa estadia na Lapônia Finlandesa, na cidade de Ivalo


>>> Veja aqui o post de nossa estadia na Lapônia Finlandesa, na cidade de Saariselkä


>>> Veja aqui o post de nossa estadia na Lapônia Finlandesa, na cidade de Rovaniemi, a Terra do Papai Noel


>>> Veja aqui o post sobre nossa visita à Santa Claus Village e ao Papai Noel de verdade


O hotel Kakslauttanen Artic Resort complementou a minha lista de experiências imperdíveis na Finlândia. Um dia vi a foto abaixo num perfil que curto no facebook, o "Luxury Experiences". Quando descobri que ficava na Finlândia, entrou imediatamente no roteiro.


Ao pesquisar sobre o Kakslauttanen, fiquei um pouco apreensiva com algumas avaliações do hotel no Trip Advisor, tanto de estrangeiros, como também de brasileiros. A crítica mais comum era o valor da acomodação, segundo alguns, desproporcional aos poucos benefícios e luxo que o hotel proporcionava. Outras críticas frequentes: os iglus são distantes da recepção e o hóspede tem que levar a mala até lá sozinho ou pagar alguém para levar; como os iglus são de vidro, não há privacidade; não tem serviço de quarto, a não ser que pague a parte; o iglu de vidro não tem banheiro, tem que caminhar até um outro prédio para tomar banho; o resort fica distante do centro de Saariselkä (a cidade onde está localizado) e o transfer é caro; comida simples; etc...


Apesar de sempre considerar as críticas do Trip Advisor e de outros sites, não levo ao pé da letra o que a galera escreve. Tem muita gente de mal com a vida, que não perde a chance de reclamar e bate ponto neste tipo de site... e também várias pessoas que não fazem o mínimo de pesquisa sobre o local e depois reclamam sobre coisas que o próprio site do lugar informava de antemão e, se o sujeito tivesse o mínimo de interesse, não teria surpresas! Então, tem que saber filtrar e ponderar quando o comentário é pertinente, ou só ranzinza rsss

Enfim, decidimos ficar no Kakslauttanen, apesar das críticas, mas diminuindo o tempo da estadia por lá. Pretendia ficar 4 noites e fazer todas as atividades com eles, mas acabei reduzindo para 2 noites apenas (uma no iglu de vidro e outra na cabana de madeira) e fazer as atividades com agências do centro de Saariselkä (a cidadezinha onde fica o Kaks), pois estávamos com carro alugado. Nos demais dias, optamos por ficar no Star Artic, um hotel fantástico, recém aberto e bem próximo do Centrinho de Saariselkä, outra ótima opção na cidade, tão boa quanto o Kakslauttanen.


>> Veja aqui o post sobre nossa hospedagem no Star Artic Hotel



Nossa experiência no Kakslauttanen não foi nada parecida com a dos viajantes que registraram as críticas negativas. Achamos o hotel demais! Lindo, rústico, cheio de estilo e personalidade, a típica experiência que se imagina no norte da Finlândia ou no Ártico. Nós amamos e ficaríamos outras inúmeras vezes!


Revendo algumas críticas, penso que certos viajantes devem ser muito chatos e frescos. Por exemplo, qual o problema de levar você mesmo sua mala até o iglu, com o trenó empurrando? Quem vai para o Ártico tem que esperar um pouquinho de aventura... O valor cobrado pela hospedagem não visa o luxo, mas o conforte e estrutura animal em um dos lugares mais inóspitos do Planeta. Quanto à ausência de serviço de quarto, não consigo imaginar a necessidade extrema de que aconteça todo dia, minha diarista limpa minha casa 1x por semana e está mais do que bom... e, em casa, eu não troco minhas toalhas todo dia.Outra crítica, da falta de privacidade no inglu de vidro... será que a pessoa não sabia antecipadamente que o inglu era de VIDRO? Para mim isto é uma questão de raciocínio lógico.


O Kakslauttanen tem uma beleza e encanto muito únicos. Feliz é o viajante que consegue ter a sensibilidade para apenas sentir tamanha beleza, sem mesquinharias... e aproveitar esta experiência inesquecível.


A estadia no inglu de vidro é um misto de incredulidade com encantamento, dormir no meio da floresta boreal e adormecer olhando para o céu é meio surreal, difícil de descrever, o sentimento de êxtase e gratidão pulsa forte no peito uma hora dessas. Como é gostosa a sensação de concretizar um sonho!!


Algumas informações úteis:


O Kakslauttanen se subdivide em 2 "hotéis" completos e autônomos entre si:

  • Kakslauttanen East Village: foi por anos a única estrutura do resort, é a mais antiga entre as duas vilas, mas também a mais bucólica e cheia de personalidade

  • Kakslauttanen West Village: é a parte mais nova, que foi construída com a expansão do hotel, a estrutura é bem maior que a vizinha, com restaurante maior e mais elegante, muito mais iglus e cabanas

No slide abaixo estão os mapas das 2 vilas para facilitar a compreensão das diferenças:


Ficamos nas 2 vilas. A hospedagem no iglu de vidro (numero 10) foi na East Village. Já a cabana de madeira (coincidentemente, também número 10), foi na West Village.


Apesar de a East Village ser mais antiga, ela é muito mais charmosa, isolada e estilosa que a vizinha, não é nada antiquada ou com aparência de velha, já adianto que foi minha favorita. Além disso, os iglus da East Village ficam bem afastados das demais dependências e são em menor quantidade, se comparados à West Village, fazendo parecer que estamos numa hospedaria rústica no meio do nada. A West Village já tem mais cara de resortzão.


As duas vilas são relativamente distantes uma da outra, não dá para ir a pé, ainda mais na neve, mas o hotel oferece transfer gratuito entre elas para os hóspedes.


+ Info:


  • meia pensão incluída (café-da-manhã e janta);

  • é possível reservar todas as atividades diretamente com o hotel (é mais caro que no centro de Saariselkä, mas interessante para quem está sem carro, pois o Centro é distante e o valor do transfer matará o desconto). O Kakslauttanen não autoriza que agências externas busquem hóspedes no hotel (isso achei meio arbitrário) ;

  • não é feita limpeza no quarto, exceto se pago à parte;

  • lenha para a lareira é paga à parte;

  • reservas apenas mediante pagamento total antecipado;

  • roupas e botas de neve adequadas são extremamente recomendáveis, mas podem ser alugadas no hotel;

  • a água na Lapônia é uma das mais puras do mundo, então é possível bebê-la diretamente da torneira;

  • as malas são transportadas até o quarto por trenós pelo próprio hóspede ou pago a parte para o staff levar. Mas é muito legal empurrar a mala no trenó e ir deslizando pelo neve, uma experiência bem diferente (aí embaixo a foto deles).




Iglus de vidro:



Os iglus são super charmosos! Na East Village ficam mais distantes da recepção e do restaurante, então tem bastante caminhada na neve, o que não chega a ser um problema, pois íamos sempre deslizando em nossos trenós, mesmo sem mala.


Nós optamos pelo iglu pequeno, para 2 pessoas, sem opção de chuveiro (apenas pia e vaso sanitário) - os chuveiros ficam em um prédio próximo (ficamos no iglu da East Village).


Na West Village tem a opção de iglu grande, para 4 pessoas e com banheiro completo.


Esta, ao lado, é a configuração do iglu pequeno que ficamos.


São 2 camas de solteiro com rodinhas (que podem virar 1 de casal) e reclináveis, para ficar assistindo o céu. Na noite que nos hospedamos o tempo estava fechado e não deu para ver a Aurora Boreal :(


Pegar no sono olhando o céu e os pinheiros é algo mágico!

O vidro é aquecido para o quarto ficar sempre quentinho e a neve não acumular sobre o iglu.


Optamos por ficar apenas 1 noite no iglu de vidro e nos transferirmos para a cabana de madeira no dia seguinte, onde tem chuveiro e saunaaaaaa!!! Por isso nem sentimos falta do chuveiro, tomamos banho assim que fizemos o check-in na cabana.




Restaurante:


Estão incluídos na tarifa do quarto café da manhã e janta. Os dois muito gostosos e completos, considerando que estávamos no meio do Ártico, longe de tudo, de distribuidores de comida, grandes redes de supermercado, as rodovias são tomadas de neve, etc. Tinha até carne bovina na janta, algo raro na região.


O cardápio da janta incluía entrada (sopa de salmão ou salada) + prato principal (peixe ou carne bovina) + sobremesa (bolinho de chocolate), tudo bem saboroso!




Cabana de Madeira (Small Log Cabin):



Como comentei acima, optamos por ficar 1 dia na cabana de madeira (Small Log Cabin) na West Village, bem rústica e estilosa, maior que o iglu, mais confortável, além de muito fofa por dentro e por fora, cabem 4 pessoas (1 cama de casal e 1 beliche, como nas fotos acima). E tem sauna... a melhor coisa da vida no frio! Mais característica de residência ártica, impossível.


Amamos o Kaukslauttanen e recomendamos muito!!!


>>> Veja aqui o clipe da nossa viagem à Lapônia

0 visualização

© Buena Vida

todos os direitos reservados

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone YouTube