• Gabrielle

GRAND CANYON: por terra (carro) + Rota 66

Atualizado: 27 de Jul de 2018



Sempre tive vontade de conhecer o mundo, cada cantinho, cada cultura... no aniversário de 31 anos do B decidimos fazer a famosa Road Trip dos EUA saindo de Las Vegas para Los Angeles, seguindo pela Highway 1 e subimos até San Francisco, com paradinhas estratégicas pelo caminho. O visual de todo o trajeto é único e maravilhoso, é um lugar mais lindo que o outro! 


Como estaríamos em Las Vegas por alguns dias, eu não poderia perder a oportunidade de conhecer o Grand Canyon, uma das Sete Maravilhas Naturais do Mundo (ok, a lista é controvertida, nem existe oficialmente, mas realmente o Grand Canyon é maravilhoso, é natural e... tá no mundo rsss).


De Las Vegas até o Grand Canyon são quase 5h de viagem, mas o tempo passa voando, pois praticamente todo o trajeto é um destino turístico em si, já que optamos por fazer o caminho através da Rota 66, e não pela Rodovia principal. Paramos muitas vezes para fotos... para ver um trem enorme cruzando o deserto paralelamente à rodovia... para olhar as lojinhas de souvenirs pelo caminho cheia de plaquinhas... para ver os carros antigos fantasiados com dentinhos e olhos, igual o desenho animado "Carros"... para pegar uma das bolas  de palha (ou galho, ou sei lá do que é feito) que ficam voando pelo asfalto igual nos filmes de cidades velho oeste abandonadas... acho que tirei tantas fotos ao longo da Rota 66 quanto do Grand Canyon!



Neste post, vou contar um pouco sobre a organização deste passeio, alguns detalhes da rota, minha experiência, o que repetiria e o que mudaria... espero poder ajudar quem estiver procurando informação sobre o destino!!



Atualização:

O Grand Canyon se divide em 4 "margens" (rim, em inglês). No post sobre

minha última visita ao Grand Canyon, na parte mais próxima de Las Vegas: 

West Rim, fiz uma explicação um pouco mais detalhada diferenciando

cada um dos 4 Rim: West, South, North, East. Veja aqui.


Neste post de hoje, conto sobre minha visita ao South Rim,

a parte mais famosa e extensa.



O CAMINHO

Decidimos fazer o passeio de carro alugado, ao invés de agência de viagem (são inúmeras oferecendo o tour, com ônibus ou helicóptero, saindo de Vegas).

Reservei o carro pelo Expedia com a locadora Enterprise para retirar no aeroporto, que é pertinho da Strip (a rua famosa dos principais hotéis).

No dia, acordamos bem cedo, pegamos um taxi do hotel de Vegas até o aeroporto e lá, pegamos o carro que já estava reservado.

Decidimos fazer bate-volta ao Grand Canyon, então devolveríamos o carro no finalzinho do dia.

Dirigir nos EUA é super tranquilo, ainda mais comparado ao trânsito do Brasil. A estrada de Las Vegas ao Grand Canyon é ainda mais tranquila, especialmente o trecho a partir da Rota 66, quase sem carros. Apenas o trajeto dentro do Parque Nacional do Grand Canyon que exige mais cautela, pois alguns animais podem atravessar a pista, por isso o limite de velocidade ali é bem baixo.

Nós resolvemos conhecer neste dia de passeio os seguintes destinos:

  • Represa Hoover Dam

  • Rota 66 (que já é caminho para o Grand Canyon)

  • Seligman, uma cidadezinha antiga que fica na Rota 66 com vários estabelecimentos históricos

  • Parque Nacional do Grand Canyon

Este foi o nosso trajeto:



Sinceramente, se eu fosse refazer o passeio, eu excluiria a Hoover Dam deste dia. Não deixaria de conhece-la, mas iria em outro dia pela manhã, já que fica bem pertinho de Vegas, para aproveitar a Rota 66 e o Grand Canyon ao máximo, sem pressa. E também, aproveitar mais da Hoover.


Como decidimos conhecer a Hoover Dam neste dia, mesmo que apenas por fora (não fizemos o tour interno guiado), acabamos pegando a estrada para a Rota 66 meio tarde. E como fizemos várias paradas pelo caminho, chegamos no Grand Canyon um pouco antes do pôr-do-sol e não deu tempo de conhecermos todos os mirantes que gostaríamos, pois quando anoitece fica uma escuridão.


Se tivéssemos pulado a Hoover Dam e seguido direto para a Rota 66, que já é caminho para o Grand Canyon mesmo, o tempo daria perfeitamente e também conseguiríamos ver o pôr-do-sol, que é um momento mágico. Apesar de não termos conhecido todos os mirantes planejados, os que vimos nos maravilhou. A grandiosidade e imponência do lugar é impressionante!!


Já que estou escrevendo sobre o que faria diferente, outra coisa que com certeza teria feito seria dormir uma noite no Grand Canyon, mas conto mais abaixo minhas razões. 




A estrada no deserto é linda! Tão única e diferente do que estamos acostumados a ver. Tem retas que duram quilômetros e quilômetros... em muitos dos quais estávamos praticamente sozinhos no meio do deserto.



NO CAMINHO: ROTA 66


Acho que a Rota 66 dispensa apresentações. Todo mundo já deve ter ouvido falar desta famosa rodovia ou visto algum filme rodado lá.


Originalmente, em 1926, ela cruzava os EUA, de leste a oeste, de Chicago/IL a Santa Monica/CA, passando pelos estados americanos de Illinois, Missouri, Kansas, Oklahoma, Texas, New Mexico, Arizona e California, num total de 3.944 km. Por anos, foi especialmente importante para a economia americana e serviu como o caminho principal para a migração à Costa Oeste. Era quase uma Main Street da America, tamanha sua importância.


Com a modernização do sistema de rodovias interestaduais americano a partir de 1956, a Rota 66 foi perdendo importância, partes foram substituídas por outras rodovias e outras totalmente abandonadas pelo Governo. Além disso, muitos dos negócios ali instalados nas épocas prósperas foram fechados pela total ausência de movimento. A rodovia chegou até a ser retirada dos mapas americanos.


Mas em 1987 grupos e associações passaram a se movimentar para preservar e reavivar a memória histórica da Rota 66 e de muitos estabelecimentos ao longo da rodovia. E a partir daí ela foi fortalecendo seu potencial turístico, sendo cenário de filmes, objeto de músicas...


Enfim, é inegável a importância histórica e turística da Rota 66!


Um dos trechos recuperados foi este no Arizona que fica entre as cidades de Kingman e Seligman, onde está a maior reta restante desta rodovia - o trecho que fizemos.



Como chegar:


Para chegar no início da Rota 66 e não correr o risco de pegar a rodovia principal (monótona e sem graça), colocar no GPS o seguinte endereço:


2770 Historic Rte 66, Kingman, AZ


Dali, só seguir toda vida reto!



Ao longo da Rota 66 podemos ver um pouco de alguns negócios e lugares que ainda existem desde os tempos antigos.


É uma rodovia bem tranquila para dirigir e na maior parte do trajeto temos apenas deserto e lindas paisagens nos acompanhando... chegando em Seligman, uma cidadezinha ao longo da rota, começam a aparecer os comércios históricos, lojinhas de souvenirs, bares cheios de plaquinhas, hotéis de rodovia, postos de gasolina antigos... e vale a pena parar para conhecer um pouquinho.




NO CAMINHO: SELIGMAN


Seligman é a cidadezinha com maior apelo turístico deste trecho da Rota 66 no Arizona.

Dá vontade quase de fazer esta parte da estrada a pé, olhando com calma tudo por onde passamos, porque tem muuuuita coisa legal para ver e oportunidades para fotos ótimas, mas... como o carro ainda não se dirige sozinho...



No quadro abaixo estão alguns locais imperdíveis em Seligman e mais abaixo, seus endereços para colocar no GPS e não correr o risco de perder.







Nós paramos para almoçar no Delgadillos Snow Cap, uma lanchonete bem no estilo americano que serve hamburguer e batata frita. Uma delícia!!


Quem assistiu "Carros", a foto acima lembra

algum cenário do filme?


Como regra em toda a Rota 66, não espere luxo. Tudo por lá remete à antiguidade e história, num conceito bem comércio de beira de estrada mesmo, desde as lanchonetes, lojinhas até os hotéis. Tem o seu charme...



NO CAMINHO: O TÃO ESPERADO GRAND CANYON


Após horas na estrada, muitas paradas, muitaaaaas fotos, almoço... enfim chegamos ao Grand Canyon +- 1 hora antes do pôr-do-sol.



Como comentei ali em cima, seria melhor ter chego antes para aproveitarmos melhor os mirantes, que são mais de 20, e para isso, eu retiraria a visita à Hoover Dam deste mesmo dia, fazendo apenas Rota 66 + Seligman + Grand Canyon (Hoover Dam ficaria para outro dia, pois fica muito perto de Las Vegas).


A luz do pôr-do-sol sobre o Grand Canyon é algo incrível e a mudança gradual do brilho do sol e das cores enfatiza a perfeição do lugar, criando um verdadeiro espetáculo da natureza. Na minha experiência, acho que vale muito a pena chegar lá a tarde para conseguir ver o pôr-do-sol.



O que eu faria diferente da próxima vez:


1) Hospedaria-me 1 noite no Grand Canyon


Quando eu voltar a esta mesma parte do Grand Canyon - o South Rim - uma coisa que certamente farei diferente será dormir ao menos uma noite no Grand Canyon, já que tem vários hotéis na região.


No site GrandCanyon.com tem uma aba onde eles informam as opções de hotéis em cada margem/rim (acesse aqui) . Tem até camping para quem curte (veja aqui mais informações).


Gostaria de ter tido mais tempo para fazer caminhadas, conhecer vários mirantes e cantinhos escondidos, desbravado mais a vila e outras áreas turísticas do Parque Nacional do Grand Canyon...


2) Voaria de helicóptero sobre o Grand Canyon 


Também, não abriria mão de fazer umpasseio de helicóptero,por mais rápido que fosse. A vista do alto deve ser linda. Vale a pena economizar um pouquinho para encaixar este tour no planejamento da viagem.


No site GrandCanyon.com tem várias opções de tour (acesse aqui), inclusive de helicóptero e de avião.


3) Esticaria a viagem até Page, também no Arizona


Seria ótimo ter dado uma esticada na viagem até a cidade de PAGE, no Arizona, que fica a apenas 2h30min de distância e tem lugares naturais liiiiiindos para conhecer (não sei se só 1 dia seria suficiente para ver tudo).



Atualização:

Nesta lista do Huffington Post estão 10 razões para visitar Page.


Por exemplo, ficam em Page estes lugares maravilhosos:


Antelope Canyon

* foto



Grand Staircase Escalante National Monument

* foto


Horseshoe Bend

* foto



Rainbow Bridge and the Waterhole

 *foto


Vermilion Cliff National Monument

* foto


Certamente, depois de ver as maravilhas naturais de Page, fiquei com muuuuita vontade de voltar ao Grand Canyon, tanto quanto de conhecer Page!!!

37 visualizações
YWhj%cl6QLWFIyAxceIPEg_thumb_13dc
+iEOnk7vTTm3ms8HBSdCdg_thumb_13dd
DZm996kAS1G7%BlWUP6GIQ_thumb_13d1
rec._arquipelogo_DSC03521
5
SdiMxw%LQMiKYcsYo0wsPA_thumb_13d8
Vegas
tCwfrUJwTb+tp+A5qe8sZQ_thumb_13cb
3
rec._arquipelogo_DSC03548
UNADJUSTEDNONRAW_thumb_13d5
sGruLyXjSzG5lHGt+9%3Mw_thumb_13db
pesca_piranha_thumb_IMG_3577_1024
7Vh5fDRxQDWJ4OPN6vmkkQ_thumb_13d4
thumb_IMG_3612_1024
UNADJUSTEDNONRAW_thumb_13da
thumb_DSC03637_1024
nascer_sol_thumb_DSC03896_1024
thumb_IMG_6785_1024
+2TSFD0vQ5iJ84ZZoZHHFg_thumb_13d6
1
G4C%yqxuQ1Kyeq3vFPkQ0Q_thumb_13cd
UNADJUSTEDNONRAW_thumb_13d3
thumb_IMG_6920_1024
UNADJUSTEDNONRAW_thumb_13d7
Z4fkfmLdRUqe5OoonmcK5g_thumb_13d9
2
ldfpDe6eSLS5W4bGlEEfBw_thumb_13ca

© Buena Vida

todos os direitos reservados

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone YouTube